Artigos

Como administrar a remuneração em momento de crise?

Publicado por Jaqueline K. Weigmann em 22/09/2016 às 11h39

Algumas empresas consideram que esse não é o momento de pensar em administrar cargos e salários, realizar pesquisas salariais, implantar um programa de gestão por competências ou ainda aplicar uma pesquisa de clima organizacional, por considerarem que isso gera custos e por ter mão de obra sobrando. Mas, justamente esse é o momento de conceder ainda maior atenção a gestão da remuneração e do clima. É momento de avaliar o desempenho, identificar os pontos de excelência e os pontos de carência, momento de ficar com os melhores, de fazer mais e melhor com menos, só assim é possível gerar maior produtividade.  A falta de administração dos cargos e salários acarreta graves erros, insatisfações, queda na produtividade, isso sim, gera custos e prejuízos para a empresa. É fato que um programa de gestão por competências, analisa o desenvolvimento dos colaboradores, melhora o desempenho, alinha os objetivos da organização e da equipe, reduz a subjetividade na seleção e avaliação de pessoas, melhora o relacionamento entre gestores e liderados, e extrai o máximo de produtividade de cada colaborador. E é isso que as empresas precisam: potencializar resultados. Quanto mais as pessoas souberem o que é esperado delas, mais eficiente se torna o processo. É preciso deixar tudo bem transparente. Desta forma, a pessoa se sente autorizada a correr riscos, fazer mais e melhor.

Com a realização de uma pesquisa salarial têm-se informações de como está o mercado, evitando-se de pagar salários acima da média de mercado o que aumentam os custos fixos ou, abaixo da média de mercado, causando insatisfações e correndo riscos de perder os melhores. Tendo-se informações é muito mais fácil dar respostas e mais eficiente torna-se o processo. O mesmo acontece com a pesquisa de clima organizacional: ela torna visível a realidade de uma empresa e os motivos que determinam ações, atitudes e comportamentos por parte dos seus colaboradores. O clima organizacional é o termômetro que poderá mostrar o quanto os colaboradores estão motivados ou desmotivados e o preparo da organização para enfrentar a crise. O objetivo é propor soluções e otimização dos níveis de satisfação. Certamente, as empresas que estão atentas a administração dos seus cargos e salários e a gestão do clima, são aquelas que proporcionarão maior engajamento das equipes e consequentemente atingirão maior produtividade. Por que será que algumas organizações enfrentam as crises e saem à frente com muito sucesso?

 

 

Comentários (0)

Gestão de Cargos e Salários e o Desenvolvimento Humano

Publicado por Murielly da Rocha em 08/12/2015 às 10h17

pessoas

Além dos processos habituais que envolvem a Gestão de Cargos e Salários – Documentação de Cargos, Avaliações, Tabelas Salariais, Pesquisas de Mercado – a Extensão têm tornado essa gestão mais humana.

O foco continua sendo a função e atividade a ser executada. Porém a Gestão de Cargos e Salários permite maior visibilidade aos talentos encontrados dentro das organizações, aumentando a performance dos profissionais e os resultados propostos pela empresa.

Como a Gestão de Cargos e Salários pode contribuir com a organização e com o desenvolvimento humano:

  • Alinhamento desde o processo de seleção  – o colaborador sabe à que veio e consegue visualizar seu crescimento dentro da organização;
  • Definição de papéis e expectativas;
  • O colaborador consegue visualizar a sua participação e se tornar ativo no seu crescimento profissional;
  • Embasamento para ações de reconhecimento;
  • Seleções internas mais coerentes e imparciais, reduzindo o sentimento de injustiça;
  • Indicadores e informações para elaborações de Planos de Desenvolvimento – Individuais e para as Equipes.

 

Alguns ainda acreditam na Gestão de Cargos e Salários como limitação dos profissionais ao cargo, podendo-se não aproveitar totalmente as competências das pessoas. O que temos notado é o contrário: a Gestão de Cargos e Salários como norteadora de infinitas possibilidades. Tanto para análise da estrutura organizacional, seus desafios e características positivas, quanto para potencialização de investimentos.

Com os cargos definidos, acontece à definição dos papéis, o que garante o atendimento ao mercado e facilita a relação clientes e fornecedores internos e externos. Essa formalização das atividades dos cargos define um resultado mínimo a ser alcançado, possibilitando garantir a entrega e qualidade dos produtos e serviços.

As iniciativas individuais que vão além do cargo - como a pesquisa, estudo e desenvolvimento de novas habilidades - devem ser incentivadas e acompanhadas pela empresa, buscando o reconhecimento, desenvolvimento e melhor aproveitamento desses profissionais.

A Gestão de Cargos e Salários é de grande importância para a organização, identificação e análise dos potenciais humanos dentro das empresas e funciona ainda como norteador  de ações da Gestão de Pessoas.

Publicado primeiro: http://bit.ly/csedesenvolvimento

Comentários (0)

Extensão recebe convidados na Cia. Hering

Publicado por Comunicação Extensão em 09/11/2015 às 08h58

Na última quarta-feira (04/11) estivemos na Cia. Hering, que fica no Bairro Bom Retiro em Blumenau/SC, reunindo alguns convidados para reflexões sobre as oportunidades da área para 2016, especialmente observando os recursos próprios, os cenários nacionais e internacionais

Para quem ainda não conhece a história da Extensão, em 1995 nossos fundadores saíram da área de Gestão de Pessoas – Remuneração da Cia. Hering para fundarem a Extensão. Por isso foi muito importante realizar esse encontro em Blumenau na Cia. Hering.

Ao entrarmos pelo portão principal – Jaque e Mauro da Extensão - foram me mostrando os prédios, as árvores (sim, eles conhecem até as árvores), as pessoas e suas histórias por lá. Acho que até esquecerem-se das vezes que já estive lá.

Infelizmente o Mário Dellagiustina, nosso sócio - de uma elegância que mescla educação, execução e comprometimento ímpar - não pode estar presente. Mais foi a pessoa mais lembrada durante toda manhã.

Todos queriam saber do Mário, mandar abraços e convidá-lo para visitá-los. Mário tinha agenda fora da cidade e não pode estar com a gente. 

Depois de Brusque, Pomerode e Blumenau, ainda estaremos em Joinville e Chapecó para fechar o tour de comemoração dos 20 anos da Extensão.

Em breve estaremos resumindo estes encontros em um ebook. Não perca! – Se você quiser se inscrever para receber clique aqui.

 

Por Murielly da Rocha, consultora da Extensão Empresarial.

Comentários (0)

Gestão de Pessoas 2016

Publicado por Comunicação Extensão em 19/10/2015 às 21h38

Em 2015 a Extensão Empresarial chegou aos 20 anos e para comemorar resolvemos reunir e aproximar nossos principais clientes de Santa Catarina.

No último dia 14 de outubro convidamos alguns profissionais da Gestão de Pessoas das cidades de Brusque e Pomerode para discutir, compartilhar e pensar na preparação da Gestão de Pessoas para 2016.

Os encontros foram conduzidos pelo consultor Mauro da Rocha, que compartilhou sua experiência de mais de 30 anos e apresentou aos participantes algumas oportunidades para a área de Gestão de Pessoa,  bem como para o desenvolvimento humano dentro das empresas.

No período da manhã a empresa anfitriã foi a Irmãos Fischer SA, empresa brusquense que em 2016 completa 50 anos de história. Quem nos agraciou com a sua abertura foi o Sr. Edemar Fischer - Diretor Comercial, Financeiro e Administrativo. Tivemos também a participação de quase toda equipe de Gestão de Pessoas da empresa, responsáveis por essa realização junto à Extensão.

 

Já no período da tarde reunimos os profissionais de Pomerode e região na empresa Bosch Rexroth, multinacional alemã com mais de 200 anos de história que está entre os maiores especialistas na área de tecnologias de acionamento e controle do mundo. Quem nos recebeu foi a equipe de Gestão de Pessoas, representada por Tatiana Dyck Wollick e Cibele de Freitas. 

 

Agradecemos à Irmãos Fischer e a Bosch Rexrtorh pela ótima recepção e aos participantes por suas participações e contribuições.

Clique aqui e conheça o Treinamento: Projetando a Gestão de Pessoas para 2016 - Dia 09/12 em Blumenau/SC

Comentários (0)

Trabalhar ou fazer arte? Tudo depende da nossa proposta

Publicado por Mauro da Rocha em 28/07/2015 às 15h29

“A arte é o pensamento aplicado à produção e à capacidade de produzir”.

Podemos trabalhar ou fazer arte, tudo dependendo da nossa proposta, absorção/atenção, desprendimento das coisas e foco no que estamos produzindo.

Fazer arte sugere vontade de fazer, produzindo e avaliando o que está sendo feito. O produto ou o serviço gerado passa a ser algo nosso, vinculado a nossa capacidade, ao que realmente somos.

Na arte encontramos a beleza, o requinte, o agradável, o toque sutil que revela a nossa marca.

Por um momento penso que “o existir” passa pelo processo do produzir, a começar pela capacidade de pensar e sentir.

Quando alguém produz sem pensar, não consegue sentir, não consegue alcançar a arte, somente trabalho.

Penso que os apaixonados, indistintamente, são artistas maravilhosos quando pensam e sentem, antes mesmo de alcançar os objetivos de suas paixões. Tornam-se competentes, maravilhosos e atraentes.

Talvez uma boa pergunta que podemos nos fazer todos os dias seja “O que estamos tentando produzir?”, indiferente do que possamos estar fazendo numa linha de produção, escrevendo um texto, limpando o piso ou atendendo um cliente.

Fazer mais de uma vez a mesma coisa pode custar à maioria, o deixar de fazer “arte” e, simplesmente trabalhar, de corpo presente e de mente ausente. Mas a vida passa rápido, deixando o tempo ainda mais valioso a cada aniversário que comemoramos.

 

Comentários (0)

left show center tsN fsN normalcase fwB|left fwR tsN|left show tsN bsd uppercase b04s fwB|bnull||image-wrap|news uppercase|fsN fwR normalcase tsN sbss|c05|news login fwR normalcase c05|tsN fwR normalcase sbww|signup normalcase fwR c05 b05s bsd|content-inner sbww sbss|left show center tsN fsN normalcase fwB|news fl uppercase tsY fwB